Em depoimento, Temer e Geddel negam ter pressionado Calero a liberar obra

Em depoimento nesta 5ª feira (7.nov.2019), o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) negaram que pressionaram o ex-ministro Marcelo Calero (Cultura) a liberar obra em Salvador, diz o portal G1.

Calero havia acusado ambos de o pressionaram a liberar a obra de 1 prédio em área histórica da cidade, que estava embargada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), quando ele ocupava a pasta. A declaração foi feita em novembro de 2016 à PF (Polícia Federal), quando ele deixou o cargo. Caso ficou conhecido como “Calerogate”.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

Geddel havia comprado 1 apartamento no prédio e, por isso, pressionou o então ministro, responsável pela área. À época, o porta-voz de Temer, Alexandre Parola, disse que o presidente havia conversado com Calero para tentar resolver o “impasse” entre ele e Geddel, e não para pressioná-lo.

Temer repetiu essa versão no depoimento desta 5ª feira, dizendo que esse encontro foi “muito superficial” e que tentou “resolver o conflito político” entre ambos.

Já Geddel disse que Calero “faltou com a verdade” sobre o assunto. O ex-ministro chorou durante o depoimento.

“Eu tratei com o senhor Calero que havia um problema e para buscar uma solução. A solução veio negativa. Se eu tivesse pressionado alguém, lógico seria que eu me dirigisse direto a presidente do Iphan”, afirmou.