Brasil cria 99 mil empregos formais em novembro, melhor saldo para o mês em 9 anos

O país criou 99.232 vagas de trabalho com carteira assinada em novembro, resultado da diferença de 1.291.837 contratações contra 1.192.605 demissões no período. Foi o 8º mês consecutivo de resultado positivo e o melhor saldo para o mês desde 2010, quando 138.247 vagas foram abertas.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

As informações são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e foram divulgadas pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia nesta 5ª feira (19.dez. 2019).

No acumulado do ano, o saldo é de 948.344 postos criados, alta de 10,48% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o saldo foi de 858.415 vagas de emprego formal.
if(“undefined”==typeof window.datawrapper)window.datawrapper={};window.datawrapper[“MDBxt”]={},window.datawrapper[“MDBxt”].embedDeltas={“100″:559,”200″:467,”300″:425,”400″:425,”500″:400,”600″:400,”700″:400,”800″:400,”900″:400,”1000”:400},window.datawrapper[“MDBxt”].iframe=document.getElementById(“datawrapper-chart-MDBxt”),window.datawrapper[“MDBxt”].iframe.style.height=window.datawrapper[“MDBxt”].embedDeltas[Math.min(1e3,Math.max(100*Math.floor(window.datawrapper[“MDBxt”].iframe.offsetWidth/100),100))]+”px”,window.addEventListener(“message”,function(a){if(“undefined”!=typeof a.data[“datawrapper-height”])for(var b in a.data[“datawrapper-height”])if(“MDBxt”==b)window.datawrapper[“MDBxt”].iframe.style.height=a.data[“datawrapper-height”][b]+”px”});

RESULTADO SETORIAL 

Ao depurar os dados setoriais, o Caged mostra que 3 dos 8 setores analisados tiveram resultados positivos. O destaque na geração de empregos foi o setor de comércio.

Eis o saldo por setor:

  • Comércio: 106.834
  • Serviços: 44.287
  • Serviços industriais de utilidade pública: 419

Por outro lado, os setores que registraram maior saldo negativo foram os da agropecuária, com 19.161 demissões, e indústria da transformação (-24.815 postos de trabalho).

RESULTADO REGIONAL

No recorte geográfico, 4 das 5 regiões levantadas apresentaram resultado positivo na criação de vagas em novembro. São eles:

  • Sudeste: 51.060
  • Sul: 28.995
  • Nordeste: 19.824
  • Norte: 4.491

O centro-oeste foi a única região a registrar mais de demissões que contratações no mês, ficando com 1 saldo negativo de 5.138 vagas.

TRABALHO INTERMITENTE E PARCIAL

Em novembro, o saldo de contratações no chamado trabalho intermitente foi de 11.354 vagas. Criada por meio da reforma trabalhista, a modalidade permite jornada em dias alternados ou por horas determinadas.

Na modalidade de trabalho parcial, foi registrado saldo de 2.122 postos de trabalho. O regime permite jornadas de até 26 horas semanais, mais 6 horas extras ou 30 horas semanais.

Ainda em novembro, foram registrados 15.754 desligamentos em função de acordos fechados entre empregador e empregado, envolvendo 11.341 estabelecimentos.

SALÁRIO MÉDIO

O salário médio de admissão no período foi de R$ 1.592,26, alta real (já descontada a inflação) de 0,96% em relação a novembro do ano passado. O salário de desligamento foi de R$ 1.795,16 – crescimento de 3,08% em relação ao mesmo mês de 2018.