Bolsa bate recordes, pula de 88 mil para 116 mil pontos e sobe 32% em 2019

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, subiu 31,58% neste ano, atingindo 115.645,34 pontos. No dia, a Bolsa caiu 0,76%. Para comparar, em dezembro de 2018, a Bolsa havia fechado com 87.887,26 pontos.

Ao longo de 2019, o Ibovespa bateu seu recorde histórico de pontuação em termos nominais (sem considerar inflação), chegando a 17.203 pontos em 26 de dezembro.

Para profissionais de mercado, a queda da taxa básica de juros, a Selic, para a mínima histórica, afetou o rendimento das aplicações relacionadas ao CDI, que perdeu atratividade. E isso levou mais brasileiros a procurarem aplicações na Bolsa em busca de rentabilidade. O número de pessoas físicas que estão aplicando na renda variável superou 1,5 milhão, quase dobrando o número de 2018.

Essa mesma queda dos juros estimulou a retomada da economia, enquanto a inflação segue controlada. Tudo isso favorece as empresas com ações listadas na Bolsa. Segundo o economista-chefe do banco digital Modalmais, Alvaro Bandeira, as companhias também fizeram ajustes durante a crise e, por isso, estão mais preparadas para aproveitar a retomada do consumo e dos investimentos.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias