Petrobras assina acordo de transição sobre gás com boliviana YPFB


Acordo estabelece um período de transição até 10 de março de 2020 no suprimento de gás do país vizinho. Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro
Sergio Moraes/Reuters
A Petrobras informou nesta segunda-feira (30) que assinou Acordo de Transição no âmbito do contrato de suprimento de gás natural com a Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB).
Segundo a Petrobras, o acordo estabelece um período de transição de 1º de janeiro a 10 de março de 2020 no suprimento de gás do país vizinho, conforme informou no final de semana a estatal boliviana.
No período, segundo a companhia brasileira, Petrobras e YPFB darão “continuidade ao processo de negociação com o objetivo de alterar determinadas condições comerciais, alinhadas ao processo de abertura do mercado brasileiro de gás natural e ao novo contexto do mercado boliviano”.
O governo brasileiro tem um plano que busca ampliar os participantes no mercado de gás do país, dominado pela Petrobras. Com mais operadores, a ideia é que o preço do produto caia, com possível impacto no valor da energia elétrica.
Em comunicado, a Petrobras não trouxe detalhes do acordo, assinado na última sexta-feira.
Conforme nota da YPFB, sob os termos do acordo, a Bolívia continuará a exportar até 19,25 milhões de metros cúbicos diários, assim como volumes adicionais para gradualmente completar a provisão de 0,04 TCF (trilhões de metros cúbicos) que foi contratada pela Petrobras, mas ainda não foi entregue.
Segundo a YPFB, durante o período de transição, a Petrobras não fará pagamentos antecipados para volumes de gás e não serão geradas multas contra a empresa boliviana por entregas inferiores ao volume diário acordado.
O contrato de gás com a Bolívia, assinado em 1999, expiraria em 31 de dezembro de 2019.