Depois de ataque dos EUA, Irã decide descumprir acordo nuclear

O Irã anunciou neste domingo (5.jan.2020) que não respeitará mais os limites ao desenvolvimento de seu programa nuclear.

Com a decisão, o país deve voltar a enriquecer urânio. A informação é da agência de notícias Inra, liga ao governo iraniano. A substância enriquecida tem capacidade para criação de equipamentos bélicos e nucleares.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

A decisão é tomada depois da escalada de tensões com os Estado Unidos. Os norte-americanos fizeram 1 ataque com drones no Iraque que resultou na morte do general Qassem Soleiman.

Por outro lado, o Irã disse que continuará cooperando com a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), órgão da ONU (Organização das Nações Unidas) que monitora o uso de atividade nuclear no mundo.

O Teerã já vinha reduzindo os compromissos nucleares desde maio, em resposta à saída dos Estados Unidos 1 ano antes do pacto internacional de 2015.

Na tentativa de arrefecer os ânimos das autoridades iranianas, a União Europeia informou que o chefe da diplomacia, Josep Borrell, havia convidado o ministro das Relações Exteriores do país do Oriente Médio, Mohammad Javad Zarif, a Bruxelas. O convite teria sido realizado, mas sem uma data precisa.