Fernández anuncia aumento de salários na Argentina

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou no sábado (3.jan.2020) reajuste salarial de 4.000 pesos (equivalente a cerca de R$ 270) para os trabalhadores do setor privado.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

O governo do peronista quer compensar o bolso dos argentinos diante da perda do poder aquisitivo provocada pela inflação.

“Os 4.000 [pesos] são 1 reajuste salarial, não 1 bônus, nem 1 pagamento extraordinário”, disse em entrevista o ministro do Trabalho, Claudio Moroni.

Para os trabalhadores do setor público se aplicará 1 esquema similar, a ser anunciado na próxima semana. Já para o setor privado, o ministro destacou que o “aumento será igual e uniforme para todas as escalas”.

O governo argentino isentou as pequenas e médias empresas do pagamento das contribuições relacionadas ao reajuste pelo prazo de 3 meses.

Em ritmo galopante, estima-se que a inflação na Argentina tenha fechado 2019 a 55%.

Em busca de 1 ajuste fiscal no país, a equipe econômica de Fernández ainda negocia com o FMI (Fundo Monetário Internacional) a redução da dívida com a organização antes de ela vencer.