Preços do petróleo sobem em meio a troca de ameaças entre EUA e Irã

Os preços do petróleo avançaram nesta segunda-feira, com o Brent tocando a marca de 70 dólares por barril, em meio a uma escalada retórica entre Estados Unidos, Irã e Iraque, que aguçou as tensões no Oriente Médio após um ataque aéreo dos EUA matar um importante comandante militar iraniano.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam em alta de 0,31 dólar, ou 0,45%, a 68,91 dólares por barril. Mais cedo, o valor de referência internacional chegou a tocar uma máxima de 70,74 dólares.

Já o petróleo dos EUA avançou 0,22 dólar, ou 0,35%, a 63,27 dólares por barril. O WTI atingiu máxima de 64,72 dólares no dia, o mais alto valor desde abril.

Após uma forte alta no início da sessão, o petróleo devolveu parte dos ganhos ao longo do dia, diante de crescentes dúvidas sobre a possibilidade de o Irã contra-atacar de uma maneira que afete as ofertas globais da commodity.

“Parece haver o avanço de um diálogo no sentido de que não é do interesse dos iranianos atacar a infraestrutura de petróleo”, disse Bob Yawger, diretor de futuros da Mizuho. “Porque qualquer ataque à infraestrutura de petróleo provavelmente desencadearia um rali no barril e isso, por sua vez, possivelmente interromperia as exportações iranianas.”

Os preços haviam saltado mais de 3% na sexta-feira, depois que um ataque aéreo dos EUA no Iraque matou o comandante militar iraniano Qassem Soleimani, aumentando as preocupações sobre uma escalada nos conflitos no Oriente Médio e o possível impacto das tensões sobre o fornecimento de petróleo.

A região é responsável por quase metade da produção mundial de petróleo, enquanto um quinto dos embarques mundiais da commodity passa pelo Estreito de Ormuz.

No domingo, o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou impor sanções ao Iraque, o segundo maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), caso as tropas dos EUA sejam forçadas a se retirar do país.

Antes disso, o governo do Iraque havia pedido aos EUA e a outras tropas estrangeiras que deixassem o país.

Trump também disse que os EUA vão retaliar o Irã caso Teerã contra-ataque em resposta à morte de Soleimani.

“A situação traz muita incerteza e exige uma leitura geopolítica das reações. Embora o fechamento do Estreito de Ormuz siga um evento bastante improvável, a deterioração (da situação) no Iraque representa riscos à oferta”, disse o chefe da área econômica do banco suíço Julius Baer, Norbert Rucker.