Bolsas nos EUA fecham em máximas recordes com otimismo comercial e ganhos da Apple


Também ajudou o mercado a redução das tensões entre EUA e Irã. Os mercados de ações dos Estados Unidos fecharam em máximas recordes nesta quinta-feira (9), com o otimismo sobre um acordo comercial firmado entre EUA e China, e com a Apple e outros pesos-pesados do mercado registrando fortes ganhos.
O Dow Jones subiu 0,74%, para 28.956,9 pontos. O S&P 500 ganhou 0,67%, para 3.274,7 pontos. E o Nasdaq Composto teve alta de 0,81%, para 9.203,43 pontos.
Também ajudou o mercado a diminuição nas tensões entre os Estados Unidos e o Irã. O presidente norte-americano, Donald Trump, se absteve de ordenar mais ações militares, e o ministro das Relações Exteriores do Irã disse que os ataques com mísseis contra bases iraquianas que abrigam as forças norte-americanas “concluíram” a resposta de Teerã.
Wall Street
Lucas Jackson/Reuters
Alta da Apple
A Apple avançou 2,1%, com o auxílio duplo das vendas do iPhone, que saltaram mais de 18% na China em dezembro, e de um aumento no preço-alvo das ações da companhia por parte da Jefferies. O segmento de tecnologia do S&P 500 teve alta de 1,1%, o maior avanço entre os setores.
O índice financeiro subiu 0,77%, após comentários otimistas de corretoras sobre o Citigroup Inc e o Goldman Sachs Group Inc antes da divulgação de seus respectivos balanços na próxima semana.
Do lado comercial, o Ministério do Comércio da China disse que o vice-primeiro-ministro, Liu He, assinará a Fase 1 do acordo comercial entre EUA e China em Washington na próxima semana.
“Algumas das coisas que têm preocupado o mercado foram deixadas para escanteio”, disse Peter Tuz, presidente da Chase Investment Counsel em Charlottesville, Virgínia.