Dados negativos da Anfavea em dezembro podem se refletir na produção, diz IBGE

A produção da indústria automobilística pode voltar a impactar negativamente o resultado da indústria brasileira em dezembro, disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em novembro, a produção industrial recuou 1,2% ante outubro, sob influência de uma redução de 4,4% na fabricação de veículos automotores, entre outras perdas em demais segmentos.

Dados negativos divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) sobre a produção de veículos em dezembro podem se refletir na próxima divulgação da Pesquisa Industrial Mensal, não apenas nas informações do setor automobilístico como também em outros ramos industriais que fazem parte dessa cadeia produtiva, alertou Macedo.

“Dados da Anfavea trazem uma leitura negativa. Para além do peso que ele (o setor automobilístico) tem dele mesmo, ele tem correlação importante com outros segmentos industriais, como borracha e plástico, metalurgia básica, máquinas, aparelhos e materiais elétricos”, enumerou o pesquisador do IBGE.

Segundo ele, o dado positivo é que o nível de estoques da atividade de veículos automotores chega ao fim do ano de 2019 normalizado, o que poderia sugerir alguma reação na linha de produção do setor em janeiro de 2020.

A indústria interrompeu em novembro uma sequência de três meses de resultados positivos, quando acumulou um avanço de 2,2%. “A indústria tem em novembro um comportamento claro de redução de ritmo. Claro que pode ter havido antecipação da produção para as datas importantes do comércio, como Black Friday e Natal, mas ela não teve fôlego para continuar com esse dinamismo na produção”, avaliou André Macedo.

Com a perda de novembro, a indústria voltou a operar em patamar semelhante ao de fevereiro de 2009. Além disso, a produção voltou a ficar aquém do nível em que encerrou o ano de 2018, 0,8% abaixo daquele patamar.

“A entrada do mês de novembro traz essa leitura de perdas que tinha ficado mais afastada”, disse Macedo. “A indústria estava rompendo um patamar de queda, mas novembro nos devolve um pouco essa característica do setor industrial. Embora haja alguma leitura de melhora, é uma melhora muito gradual”, concluiu.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.

Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.

Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Anfavea: venda de maquinas agrícolas fecha 2019 em queda

Band Terra Viva